Sobre mim

Sobrevivi

07:14

Não foi fácil. Sinto como se este ano tivesse roubado toda a energia que tenho dentro, e deixado um vazio apenas. Todos os dias travando batalhas externas e internas, que me desgastaram e me mudaram. Mas enquanto algumas pessoas preferem ver apenas a feiura deste mundo... Eu prefiro ver a beleza. E assim sobrevivi, mais um ano. Agora não é tempo de ver as páginas escuras, e sim as páginas coloridas, para que ano que vem seja repleto delas. 
Aqui estão algumas das minhas páginas coloridas:




Adotei um pequeno das ruas. Cheio de sarna, pulgas, carrapatos e muito assustado, foi alimentado e cuidado com muito amor por mim. Hoje está cheio de saude e feliz na sua nova morada. ♡


Uma das vidas que salvei me dizendo: "Obrigado, titínea" ♡




"Vai ficar tudo bem."
Feliz ano novo.

animais

Um dia feliz na vida de uma catiorínea

12:36

Querido diário,

Hoje mamãe me levou para um passeio inesquecível! No início achei que nós só íamos andar de carro como sempre, mas aí quando percebi nós estávamos num lugar que eu não conhecia. Eu acho que era um lugar mágico que só a mamãe conhece, porque eu nunca tinha visto nada igual! Eram tantos cheiros diferentes, barulhos de outros animaizíneos... Eu estava muito animada, mas me mantive comportada, porque mamãe me ensinou assim.

No início eu estava um pouco tímida, como vocês podem ver. Mamãe tinha me dado banho e eu estava bem branquínea.

Mamãe me colocou em cima de um carro muito estranho. No início fiquei com medo do barulho que ele fazia, mas depois eu já não senti medo nenhum. E em cima dele nós fomos desbravando todo aquele mundo mágico!


No caminho conheci um monte de amiguíneos. Conheci um cachorro muito grande, que mamãe disse que era um cavalíneo. O cavalíneo come cenoura e maçã. Que mal gosto!


Conheci as vaquíneas também. Tentei começar uma conversa, lati pra elas dizendo "olá vaquíneas", mas acho que elas não entenderam o que eu quis dizer, e ficaram só me olhando mesmo.


Teve uma hora que mamãe me desceu do carro estranho para correr na grama. Saí correndo e cheirei tudo que consegui cheirar! Pisei nos cocos de vaquíneas e tentei comer eles porque tinham um cheiro engraçado, mas mamãe não pareceu gostar dessa ideia. Eu comi um pouquinho mesmo assim, quando ela não estava olhando, achando que não ia descobrir. Mas não sou boa em mentir. Fiquei com a boquínea suja e mamãe descobriu na hora que me viu assim:


Depois de correr nas bostíneas, mamãe me mostrou como é o céu! O céu é cheio de pão, sabiam? E eu AMO pão! Olha como eu estava feliz:


E nós ficamos lá no lugar mágico o dia todo! Brinquei com os catioríneos, corri na grama, cacei bichíneos, comi bostínea, e acabei ficando super cansadínea.



Cansadínea e sujínea também.


 Até tirei uma selfiezínea pra mostrar pra Arya, a porquinha da índia da mamãe. Ela vai ficar com muita inveja de mim! hehe

Selfezínea 
E esse foi o meu dia especial! Estou muito feliz! Hoje descobri que existe tanta coisa além do pátio da casa onde eu moro com a mamãe! Me deu vontade de sair pelo mundo com ela e conhecer muito lugares mágicos que nem esse.

Lambeijos, e até a próxima.
Ass. Suzane ❤

Feliz natal <3

música

Músicas emo que eu gostava (gosto ainda, não adianta mentir).

15:42


Se você foi adolescente em 2006-2008 há uma grande chance de você ter sido emo. Eu era. Não tem como negar. Se você tinha uma franja, você era automaticamente emo. Se você usava roupa preta, você também era. Mesmo se você negasse de pés juntos que NÃO ERA, você era sim, pelo simples fato de você estar negando.
Como vocês podem ver neste post aqui, eu em 2013 ainda negava que era emo, então, sim eu era. Hoje em dia ainda existem adolescentes que mantêm firme o movimento, mas os emos das antigas já não mantêm mais as aparências... Eles estão misturados nas multidões, vestindo roupas normais e cabelos normais nos seus empregos normais. Mas o passado não é algo que se pode apagar. E não há nada com que se envergonhar! Até porque ser emo era bem legal (eeer), e hoje em dia eu ainda dou boas risadas de videos que zoam essas pessoas tão tristes e meigas. E as músicas... Bom, as musicas eu confesso que ainda escuto. Hoje eu vou mostrar pra vocês minhas músicas favoritas da adolescência.

Sobre mim

Crise

07:56


Oi... É... Oi? Gente? Por onde devo começar?... Não sei mais.
Já faz quanto tempo? Quase um ano? Talvez.
A verdade é que eu não sabia como voltar. Depois que eu fico um tempo sem postar... Vou me acomodando, acomodando... E quando vejo já passou todo esse tempo. E além disso, pessoas próximas a mim descobriram meu blog. Droga... Não posso mais falar mal de ninguém! (kkkk)
Eu me formei, é verdade. Voltei pra casa e comecei uma nova fase na minha vida. Mas tudo ficou muito confuso a partir daí. Sinto que entrei em um período de crise. Fiquei longe do meu amor, e isso me enfraqueceu muito. Comecei a buscar emprego, e me decepcionei. Foram muitos "nãos", muitas viagens que acabaram dando em nada, até que encontrei um emprego e um cartaz na minha vida escrito "BEM VINDA A VIDA ADULTA".
Quando criança sonhava em ser adulta. "Ah, porque eu vou fazer tudo que EU quiser! Vou ser dona de mim mesma! Vou trabalhar e ter MEU dinheiro". Ah, cala a boca! Até parece.
A vida é diferente... Na vida as pessoas são duras, tem pressão o tempo todo, e você o que ganha com tudo isso? Uma úlcera no estômago... 
Todo dia eu escuto um "Mas você já é formada???? Tão nova!!", ou "Você é estagiária?" etc, etc...
Todo dia tenho que lutar contra meus medos. Já pensei em desistir muitas vezes. Recebo muita pressão psicológica o tempo todo. Tem pessoas legais, mas tem aquelas que fazem você se sentir péssima. Tem animais que eu não consigo salvar. Já chorei muito por isso. E as vezes no desespero, tenho que respirar fundo muitas vezes pra não sair correndo pela porta e ir embora, porque a pressão é demais pra mim. Mas eu tenho que me manter forte. É o que as pessoas dizem.
Deixei de fazer muitas coisas que eu gostava (o blog foi uma delas)... E não sei se eu gosto dessa pessoa que estou me tornando. Estudo e trabalho o tempo todo e me sinto culpada quando não estou fazendo isso. As vezes, quando me dou conta estou no meio da cidade, minhas pernas me levando à lugares que eu não gostaria de ir, mas eu vou... Porque? Porque eu tenho que ir, não tenho? Não sei...! Não sei mais...
Eu ainda estou aprendendo essas coisa de "ser adulta". Tenho falhado miseravelmente, confesso. Eu tento todo dia. E é difícil pra caramba se vocês querem saber. As vezes dá vontade de sair correndo, deixar tudo pra trás e ir pro Chile. Viver com as lhamas nas montanhas! O_O
Apesar de todas as coisas ruins, coisas boas continuam a acontecer. E eu tento me sentir grata por elas, por mais que as vezes seja difícil reparar nelas no meio de tanta merda! E aliás, as merdas acontecem por algum motivo, e se estão a acontecer agora, nesse momento da minha vida, existe uma boa razão para isso (li isso num livro de auto-ajuda, e estou tentando me agarrar a isso pra não enlouquecer. Então, vamos acreditar que é verdade!).
Eu ainda não sei o que vai ser da minha vida. Eu to nessa crise existencial e não sei quando vai passar. Só espero ter coragem para conseguir passar por ela, sã e salva.

Qual foi o objetivo deste texto? Isso mesmo. Nenhum.

Gostaria de dizer um "até logo", mas no momento tudo que posso dizer é um "tchau" mesmo. Pode ser que eu volte... 
Tchau!

Instagram

Facebook

Instagram