Estante

Livro: "Quatro vidas de um cachorro" (RESENHA)

15:39

Porque livros sobre cachorros nunca são demais, né?


Oi gente :) Tudo bem com vocês? Hoje estou aqui para fazer o que pior sei, que é resenhas de livros :D Terminei recentemente “Quatro vidas de um cachorro”. Conheci a história através do trailer do filme, que aliás será lançado em breve. Chorei horrores só no trailer. E choro todas as vezes que assisto (já vi umas 7 vezes). E com o livro não foi muito diferente. Aliás, se a pessoa não fica um pouquinho emocionada que seja quando o assunto é cachorro... Tem algo errado.

Originalmente com o nome de “A dog’s purpose” (muito mais bonito que o titulo em português diga-se de passagem), o livro conta as historias de um cachorrinho que renasce 4 vezes, com diferentes raças e em diferentes famílias. No início ele não entende o porquê de voltar à vida, mas depois percebe que talvez seja porque tem um propósito, e que enquanto não cumpri-lo não irá parar de renascer. Em cada nova vida, ele aprende algo novo que o engrandece como animal, a fim fazê-lo entender o sentido da sua vida e assim ter sua redenção.

“Alguns cachorros querem ser livres para vagar, porque não tem um menino que os ame”

Durante esse texto vou me referir ao espírito do cachorro do livro como Bailey, que é uma das vidas mais significativas dele na história.

Bailey retratado no filme.
No início tive que me acostumar com a narrativa que é toda feita na percepção do cachorro. Não foi difícil, porque a leitura flui de forma muito fácil e nada cansativa. Além de ser engraçada, cheia de piadas sarcásticas principalmente em relação ao maior inimigo: os gatos! Quem é gateiro deve ficar um pouco de cara. Mas eu achava o máximo haha

“Os cães tem funções importantes, como latir quando a campainha toca, mas os gatos não servem para nada numa casa”.

O que gostei é que o autor não quis fazer uma versão tão humanizada de Bailey. Bailey é um cachorro, e muitas vezes não entende o que acontece ao seu redor. Ele narra todos os acontecimentos e nem sempre tudo fica claro, mas você acaba entendendo nas entrelinhas a história, que muitas vezes pode ser bem triste. Porém na visão inocente de Bailey isso é amenizado, e a narrativa não se torna “pesada”, sendo divertida em muitos momentos.

“Não voltei mais para a ‘casa de cachorro’ depois disso, salvo quando a Mãe e o Pai gritavam um com o outro. Ethan vinha para a garagem, então, e entrava comigo na ‘casa de cachorro’, pondo os braços à minha volta. (...) Eu sabia que deveria consolá-lo.”
Hannah, Ethan e Bailey no filme.
"'Não!' Gritava a Mãe ou Ethan quando eu molhava o chão. 'Cachorro bonzinho!', elogiavam quando fazia pipi na grama. 'Certo, muito bem', diziam quando eu urinava nos jornais. Eu não conseguia entender o que havia de errado com essa gente."

Mesmo que você não acredite nessa coisa de reencarnação (assim como eu), acredito que vale a pena a leitura, porque a mensagem que ela quer passar é linda. Lealdade, amizade, amor e compaixão, tudo que um cachorro pode sentir e transmitir estão retratados nesse livro de forma muito meiga e sensível. E o final é emocionante. É um livro que consegue tocar até o coração mais impenetrável, fazendo os olhos ficarem levemente úmidos.

“Pensei comigo se haveria alguma coisa que eu gostaria de fazer uma ultima vez. Encontrar? Nadar no mar? Por a cabeça para fora do carro? Todas essas coisas eram maravilhosas... Eu fizera todas elas, porém, e estava de bom tamanho...”


Aqui acima deixei o trailer do filme, se você não for muito fã de leitura hehe Estou ansiosa para assistir!
Espero que tenham gostado :)
Agora comecei a ler "As meninas" de Lygia Fagundes Telles, alguém já leu?
Beijos, e até a próxima!

Sobre mim

Sobrevivi

07:14

Não foi fácil. Sinto como se este ano tivesse roubado toda a energia que tenho dentro, e deixado um vazio apenas. Todos os dias travando batalhas externas e internas, que me desgastaram e me mudaram. Mas enquanto algumas pessoas preferem ver apenas a feiura deste mundo... Eu prefiro ver a beleza. E assim sobrevivi, mais um ano. Agora não é tempo de ver as páginas escuras, e sim as páginas coloridas, para que ano que vem seja repleto delas. 
Aqui estão algumas das minhas páginas coloridas:




Adotei um pequeno das ruas. Cheio de sarna, pulgas, carrapatos e muito assustado, foi alimentado e cuidado com muito amor por mim. Hoje está cheio de saude e feliz na sua nova morada. ♡


Uma das vidas que salvei me dizendo: "Obrigado, titínea" ♡




"Vai ficar tudo bem."
Feliz ano novo.

Facebook

Instagram